O desempenho da paisagem enquanto construção da arquitectura de tradicão em portugal

Isabel Maria Augusto de Sousa Rosa, Ricardo Ribeiro

Abstract


Paisagem é o resultado da ocupação humana de acordo com o potencial do território, no sentido de aproveitar os recursos que são fundamentais à sua sobrevivência. Os factores ecológicos, nomeadamente a morfologia do terreno, a geologia e litologia, o valor ecológico do solo, a fauna e flora associados ao clima, entre outros conjugados com os factores culturais, nomeadamente patrimoniais, condicionam e modelam em permanência a Paisagem. Com a utilização de técnicas tradicionais na estruturação do território resultou, de um modo consciente, uma Arquitectura Vernacular integrada e adaptada às circunstâncias locais que, associada ao equadramento paisagístico, teve um efeito de Lugar. Neste sentido, a presente proposta de comunicação irá explicar como a aldeia granítica de Cidadelhe, localizada em Pinhel (Guarda – Portugal), a qual está localizada na entrada sul do Parque Arqueológico do Vale Côa (classificado em 1998 pela UNESCO como Património da Humanidade), expressa uma Paisagem que integra o Lugar e o Lugar que reutiliza a Paisagem.


Parole chiave


Arquitectura; Cidadelhe; Paisagem; Património; Turismo de Natureza

Full Text

PDF (Português)

Riferimenti bibliografici


Abreu, A. C., (2007). Paisagem enquanto Património. Património e Ambiente, Revista Pedra & Cal, nº 34. Lisboa

Augé, M., (1992). Não Lugares - Introdução a uma antropologia da Sobremodernidade. 90º Editora, Lda., 2005. Lisboa. 100pp.

Carta de Ocupação do Solo (COS’90, 1990 e COS’07, 2007), Instituto Geográfico Português, Lisboa

Comissão Europeia (1996). Cidades Europeias Sustentáveis. Direcção- Geral XI, Ambiente, Segurança Nuclear e Protecção Civil. Bruxelas. 294 pp.

Federação dos Parques Naturais (EUROPARC) (1999). A Carta Europeia de Turismo Sustentável em Áreas Protegidas, 2007. França. 24 pp.

Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) (1998). “Programa Nacional de Turismo de Natureza”, Resolução de Conselho de Ministros nº 112/98, de 25 de Agosto. Lisboa - Disponível em: http:// www.icnf.pt/NR/rdonlyres/DDB3C45E-BCBC-4015-8643- DA7648D9707E/0/RCM_112_1998.pdf

Jellicoe, G. & S., (1995). The Landscape of Man, shaping the environment from prehistory to the present day. Thames & Hudson. Londres. 408 pp.

Kunstler, J., (2006). O Fim do Petróleo – o grande desafio do séc. XXI. Editoral Bizâncio. Lisboa. 348 pp.

Lei de Bases do Ordenamento do Território e do Urbanismo. Lei n.º 48/98

D.R. I Série-A nº 184 (11-8-1998) - Disponível em: http://dre.pt/pdf1sdip/1998/08/184A00/38693875.pdf.

Magalhães, M., (2001). A Arquitectura Paisagista - morfologia e complexidade. Editorial Estampa, Lda., Lisboa. 525 pp.

Magalhães, M. (2007). Paisagem – Perspectiva da Arquitectura Paisagista. in Philosophica 29: Estéticas da Natureza. Faculdade de Letras – Universidade de Lisboa, Departamento de Filosofia, Lisboa. p. 103 - 113

Magalhães, M., Abreu, M., Lousã, M., Cortez, N., (2007). Estrutura Ecológica da Paisagem: Conceitos e Delimitações – escalas regional e municipal. ISApress, Lisboa. 361 pp. Lisboa

Recenseamento Demográfico (CENSOS), Instituto Nacional de Estatística.

Censos 1950 – IX Recenseamento Geral de População (Tomo I), 806 pp.

Censos 1960 – X Recenseamento Geral de População (Tomo II), 754 pp.

Censos 1970 – XI Recenseamento da População, 388 pp.

Censos 1981 – XII Recenseamento da População (Guarda), 225 pp.

Censos 2001 – XIII Recenseamento da População

Censos 2011 – XIV Recenseamento da População

Peralta, E., (2008). A Memória do Mar - Património, Tradição e (Re)imaginação Identitária na Contemporaneidade. Instituto Superior Ciências Sociais e Políticas, Lisboa. 443 pp.

Schulz, C., (1979). Genius Loci, Paesaggio Ambiente Architettura. Electa. Milão. 215 pp.

Telles, G., (2002). Sobre Paisagem. Revista AP nº 3 Associação Portuguesa de Arquitectos Paisagistas. Lisboa. p. 9

Unesco, (1972). Convenção para a Proteção do Património Mundial, Cultural e Natural, Conferência Geral da Unesco, Paris. 209 pp. Disponível em: http://whc.unesco.org/uploads/activities/documents/activity 562-1.pdf

UNESCO, 1998. Convenção para a Protecção do Património Cultural e Natural, Relatório da 22ª Sessão do VIII Comité de Património Mundial - Id. Nº 866, Kyoto. 131 pp. Disponível em: http://whc.unesco.org/ archive/1998/whc-98-conf203-18e.pdf




DOI: 10.6092/issn.1828-5961/3295

Copyright (c) 2012 Isabel Maria Augusto de Sousa Rosa, Ricardo Ribeiro

Creative Commons License
Quest'opera è rilasciata con una licenza Creative Commons Attribuzione-Non commerciale 3.0 Unported.

Licenza Creative Commons

ISSN 1828-5961
Registrazione presso il Tribunale di Bologna n. 7896 del 30 ottobre 2008

La rivista è ospitata e mantenuta da ABIS-AlmaDL [privacy]