Analisi Multicriteriale applicata alla vulnerabilità socio-spaziale delle vittime della violenza del traffico a Belo Horizonte, Brasile: un'investigazione per mezzo del trauma maxillo-facciale

Carlos José De Paula Silva, Rafaella Almeida Silvestrini, Marcelo Drummond Naves

Abstract


Gli incidenti stradali, come problemi di salute pubblica, sono una delle principali cause di morte in Brasile. Il lavoro analizza la distribuzione spaziale di casi di incidente (con lesioni maxillo-facciali) associandoli con le caratteristiche di vulnerabilità del luogo di residenza delle vittime. Gli indirizzi delle vittime sono stati sottoposti a georeferenziazione e geo-codificazione. Sono state identificate le condizioni socio-spaziali delle vittime ed utilizzate per l'analisi “multicriteria” attraverso la combinazione di variabili e la composizione di distribuzione spaziale del grado di vulnerabilità socio-spaziale. Le tendenze spaziali dei casi sono state analizzate con mappe del Kernel e funzione K di Ripley. I casi sono distribuiti nello spazio in forma aggregata, con maggiori densità in aree con grandi disparità socio-economiche. Si presenta come referenza metodologica per l'analisi delle correlazioni tra le variabili, la verifica del grado della spazializzazione dei fenomeni, e la composizione dell'indice spaziale per sostenere i progetti urbani che devono contemplare le condizioni di accessibilità, la violenza e le necessità socio-spaziali.

 


Parole chiave


Violenza del traffico; Trauma maxillo-facciali; Analisi spaziale; Analisi Multicriteriali; Funzione K di Ripley; Mappe di Kernel

Full Text

PDF (Italiano)

Riferimenti bibliografici


Bailey, T., Gatrell, A. (1995). Interactive Spatial Data Analysis, Harlow: Longman, 413 p.

Barcellos, C. (2000). Organização espacial, saúde e qualidade de vida. In: Seminário Nacional Saúde e Ambiente no Processo de Desenvolvimento. Fundação Osvaldo Cruz (Org.). Série Fiocruz: Eventos Científicos 2, p. 27-34, Rio de Janeiro, Fundação Osvaldo Cruz.

BELO HORIZONTE, Secretaria Municipal Adjunta de Planejamento Urbano, Práxis Projetos e Consultoria Ltda. (2012). Planos Diretores das Regiões Administrativas Pampulha e Venda Nova, Relatórios 1 e 2: Diagnóstico e Diretrizes para Estrutura Urbana Sustentável, Belo Horizonte.

Bertin, J. (1977). A neográfica e o tratamento gráfico da informação. Tradução Cecília M. Westphalen. Curitiba, Editora da Universidade do Paraná, 1986. 273 p.

BRASIL, Departamento Nacional de Trânsito- Registro Nacional de acidentes e Estatísticas de trânsito - RENAEST. [Acessado em 13 de outubro de 2012] Disponível em: http:// www2.cidades.gov.br/renaes. do?noticia. codigo=386.

Censo Demográfico 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default_resultados_universo.shtm Acessado em 09 de agosto de 2012

Goldenberg, D; Triki, J.Y; Bastos, E. (2006). Ferimentos cutâneos e mucosos da face. In: Mangenello-Souza, L.C.; Luz, J.G.C. Tratamento cirúrgico do trauma bucomaxilofacial. São Paulo: Roca.

Gullo A.A.S. (1998). Violência urbana: um problema social. Tempo Social. Rev. Sociol.Universidade de São Paulo: São Paulo;10(1): 105-119. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- IBGE- BRASIL. Disponível em http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_impressao.php?id_noticia=734. Acessado em 5 de dezembro de 2012.

Macedo, J.L.S.; Camargo, L.M.; Almeida, P.F.; Rosa, S.C. (2008). Perfil epidemiológico do trauma de face dos pacientes atendidos no pronto socorro de um hospital público. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgia. v.35, n.1, jan/ fev,

Maguirre, D.J.; Goodchild, M.F.; Rhind, D.W. (1991). Geographical Information Systems. Principles and Applications. London: Longman Scientific and technical.

Mascarenhas, M.D.M.; Silva, M.M.A.; Malta, D.C.; Moura, L.; Moysés, S.T.; Neto, O.L.M. (2012). Perfil epidemiológico dos atendimentos de emergência por lesões bucodentais decorrentes de causas externas, Brasil, 2006 e 2007. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 28, suplemento, p.124-132.

Mello-Jorge M, Koizumi M. (2007). Acidentes de trânsito no Brasil: um Atlas de sua distribuição. São Paulo: ABRAMET.

Olivato, A. (2010). Liberdades individuais e espaço público. In: Psicologia e mobilidade: o espaço público como direito de todos. Conselho Federal de Psicologia. p. 41-48.

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE. Disponível em http://portalpbh.pbh.gov.br/pbh/ecp/comunidade.do?evento=portlet&pIdPlc=ecpTaxonomiaMenuPortal&app=estatisticas&tax=9086〈=pt_BR&pg=5922&taxp=0&. Acessado 10 de janeiro de 2009.

Rahman, Ra; Ramli, R; Rahman, Na; Hussaini, Hm; Al Ldrus, Sm E Hamid, Ala. (2007). Maxillofacial trauma pediatric patients in Malaysia: A retrospective study from 1999 to 2001 in three hospitals. International Journal of Pediatric Otorhinolaryngology, v. 71, n. 6, p. 929-936, june.

Reichenheim M.E., Souza E.R., Moraes C.L., Melo Jorge M.H.P, Silva C.M.F.P, Minayo, M.C.S. (2001). Violência e lesões no Brasil: efeitos, avanços alcançados e desafios futuros. The Lancet 2011; 337(9781): 1962-1975.

Ribeiro, H.; Vargas, C. (2004). Qualidade Ambiental URBANA: Ensaio de uma Definição. In. RIBEIRO, H.; VARGAS. H.C. Novos instrumentos de Gestão Ambiental Urbana. 1ª edição. 1ª reimpresão. São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo.

Ripley, B.D. (1977). Modeling Spatial Petterns (with discussion) Journal of the Royal Statistical Society, Series B 39, p.172-212.

Sant´Anna. R.M. (2010). Políticas públicas para mobilidade. In: Psicologia e mobilidade: o espaço público como direito de todos. Conselho Federal de Psicologia. p.57-63.

Santos, S.M.; Noronha, C.P. (2001). Padrões espaciais de mortalidade e diferenciais sócio-econômicos na cidade do Rio de Janeiro. Cad. Saúde Pública, v.17, n.5, p.1099-1110.

Souza, E.R. (2005). Masculinidade e violência no Brasil: contribuição para a reflexão no campo da saúde. Ciênc. saúde coletiva. v.10, n.1, p.59-70.

Souza, E.R. (2010). Trânsito versus mobilidade: antagonismo ou complementaridade? A visão da Saúde Pública. In: Psicologia e mobilidade: o espaço público como direito de todos. Conselho Federal de Psicologia. p. 173-179.

Souza, V.R.; Cavenaghi, S.; Alves, J.E.D, Magalhães, M.A.F.M. (2008). Análise espacial dos acidentes de trânsito com vítimas fatais: comparação entre o local de residência e de ocorrência do acidente no Rio de Janeiro. R. BRAS. Est. Pop., São Paulo, v.25, n. 2, p. 353-364, jul/ dez.

Xavier-da-Silva, J. (2001). Geprocessamento para análise ambiental. Ed do autor: Rio de Janeiro. 227 p.




DOI: 10.6092/issn.1828-5961/3388

Copyright (c) 2013 Carlos José De Paula Silva, Rafaella Almeida Silvestrini, Marcelo Drummond Naves

Creative Commons License
Quest'opera è rilasciata con una licenza Creative Commons Attribuzione-Non commerciale 3.0 Unported.

Licenza Creative Commons

ISSN 1828-5961
Registrazione presso il Tribunale di Bologna n. 7896 del 30 ottobre 2008

La rivista è ospitata e mantenuta da ABIS-AlmaDL [privacy]